s

Para acessar a área restrita use suas credenciais da Área PT

 Login

Em Pauta Conjuntura: Líder nas pesquisas, Lula continua sendo perseguido

Quanto mais o ex-presidente Lula confirma sua identificação com o povo brasileiro e sua força eleitoral, mais armações e arbitrariedades cometem contra ele. É o caso da falsa denúncia do MPF de Brasília, aceita na terça-feira (19/09) pelo juiz da 10ª Vara Federal, horas depois de nova pesquisa confirmar que Lula vence as eleições presidenciais contra qualquer candidato do campo golpista.

O ex-presidente e o ex-ministro Gilberto Carvalho foram denunciados por corrupção passiva em um dos processos da Operação Zelotes. Com a decisão, proferida pelo juiz federal Vallisney de Oliveira, os acusados se tornaram réus no processo. De acordo com a denúncia, Lula, Carvalho e mais cinco investigados são acusados de beneficiar montadoras de veículos por meio da edição de medidas provisórias. As empresas automobilísticas teriam prometido R$ 6 milhões a Lula e Carvalho em troca de benefícios para o setor, afirmaram os procuradores do caso.

A Medida Provisória 471 foi editada em 2009, com aprovação unânime do Congresso Nacional, para prorrogar por cinco anos a vigência de incentivos fiscais criados no governo de Fernando Henrique Cardoso e que levaram a indústria automobilística a se instalar nas regiões Nordeste, Norte e Centro-Oeste.

Ao contrário do que alegam os acusadores de Lula, a medida não foi feita para beneficiar a empresa A, B ou C, mas para promover a industrialização e gerar dezenas de milhares de empregos de qualidade, como ocorreu nos polos automotivos de Camaçari (BA), Fortaleza, Goiana (PE), Manaus e Anápolis. Não houve qualquer irregularidade ou ilicitude na edição da MP nem na conversão em lei pelo Congresso Nacional; nada que possa atingir o ex-presidente Lula e Gilberto Carvalho, acusados sem base em fatos e muito menos em provas.

Não bastassem as falsas acusações contra o ex-presidente, por bens que ele nunca recebeu, agora ele é réu pelo “crime” de ter governado o Brasil pensando primeiro nos trabalhadores e nos mais pobres. É por isso que não o perdoam, e é por isso mesmo que o povo brasileiro quer Lula presidente outra vez.

A defesa do ex-presidente Lula classificou a denúncia da Zelotes como mais um exemplo de “lawfare” – uso dos meios jurídicos para promover perseguição a um inimigo político – e afirmou que a inocência do petista deverá ser reconhecida também neste processo porque ele não praticou qualquer ilícito. “A denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal não tem materialidade e deve ser compreendida no contexto de lawfare que vem sendo praticado contra Lula, usando de processos e procedimentos jurídicos para fins de perseguição política”, disse a defesa em nota à imprensa.

Também em nota, a assessoria de imprensa de Lula, afirmou que a denúncia não tem sentido e é mais uma exemplo da perseguição contra o ex-presidente, “que dessa vez será julgado pela prorrogação de uma política de desenvolvimento regional, criada antes de seu governo, que tornou as regiões Nordeste, Norte e Centro-Oeste responsáveis por 13% dos empregos na indústria automobilística e 10% das exportações de veículos”.

 

Confira outros destaques:

1. Dilma lidera pesquisa para o Senado em Minas

Uma pesquisa realizada pelo instituto Quaest, com 2,2 mil eleitores em 189 municípios mineiros, aponta: a presidenta eleita Dilma Rousseff lidera as intenções de voto para o Senado em Minas Gerais, com 12% dos intenções espontâneas de votos. Caso decida concorrer por Minas, ela poderá bater, mais uma vez, o senador Aécio Neves (PSDB), que, após ser derrotado por ela na disputa presidencial de 2014, se uniu ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) para golpear a democracia brasileira. Leia mais aqui.

2. Moro usou depoimento sem provas para condenar Lula, indica parecer de Janot

A sentença do caso triplex proferida por Sergio Moro contra Lula foi golpeada por um parecer enviado pelo ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal, no mês passado. No documento, Janot afirma que Léo Pinheiro não fechou acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal e, portanto, “não há nenhum elemento de prova obtido a partir dessas tratativas preliminares.” Além disso, o então PGR apontou que mesmo que o acordo tivesse sido fechado e homologado pela Justiça, seria necessário investigar se as falas e os indícios de provas eventualmente entregue por Pinheiro seriam verdadeiros. A defesa de Lula utilizou o parecer de Janot para sustentar, perante o tribunal que vai revisar a sentença de Moro, que o ex-presidente foi condenado apenas com base em falatório sem provas. Leia mais aqui.

3. Reforma Política: PT vota contra e ajuda a derrotar “distritão”

Com voto favorável da Bancada do PT, o plenário da Câmara rejeitou, na terça-feira (19/09), a adoção do sistema majoritário denominado “distritão” para as eleições de 2018. Defendido principalmente pelo PMDB, e com apoio do PSDB, do DEM e de partidos do Centrão, o sistema recebeu 205 votos favoráveis e 238 contrários. Como a proposta alterava a Constituição (PEC 77/03), eram necessários 308 votos. Para o líder do PT, deputado Carlos Zarattini, o resultado da votação foi uma vitória para o partido. O PT sempre criticou o sistema por estimular a personalização das candidaturas e impedir a renovação do Parlamento. Leia mais aqui.

4. Temer quer acabar com o programa de cisternas, premiado mundialmente

Depois de acabar com a Farmácia Popular e com o Bolsa Atleta, Michel Temer desfere agora ataque contra a população do semiárido nordestino. Na proposta de Orçamento para 2018, Temer reduziu em 92% os investimentos no Programa de Cisternas, reconhecido pela ONU com uma das políticas públicas mais adequadas para regiões em processo de desertificação. Criado em 2003 no primeiro governo do ex-presidente Lula, o Programa de Cisternas é reconhecido mundialmente. No último dia 22 agosto, o programa ocupou o segundo lugar no Prêmio Internacional de Política para o Futuro 2017, da organização alemã World Future Council em parceria com a Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação. O Programa Cisternas já possibilitou que cinco milhões de pessoas da região mais árida do Brasil tenham, ao lado de casa, água potável para consumo humano. Leia mais aqui.

5. Xadrez sobre a falsificação de documentos na Lava Jato

O livro-bomba sobre a Lava Jato, prometido pelo doleiro espanhol Tacla Duran, começa a dar frutos. Tacla é o doleiro cuja declaração de renda comprovou pagamentos a Rosângela Moro, ao primeiro amigo Carlos Zucolotto e a Leonardo Santos Lima. Alguns capítulos do livro ficaram por alguns dias no site de Tacla. No livro, ele diz que a delação da Odebrecht teve vários pontos de manipulação, com a montagem de documentos, provavelmente por pressão dos procuradores, atrás de qualquer tipo de prova contra Lula. O juiz Sérgio Moro facultou apenas aos procuradores da Lava Jato o acesso ao banco de dados especial da Odebrecht. Aparentemente, os procuradores entram lá e pinçam apenas o que interessam. Analistas foram atrás das dicas levantadas por Tacla e quase todas se confirmaram. Mais que isso: há indícios de que alguns dos documentos foram montados. Leia mais aqui.

6. Na ONU, Temer mente sobre equilíbrio fiscal e sobre emissão de carbono

O presidente Michel Temer (PMDB) misturou dados precisos com outros sem base técnica para defender o seu governo durante o discurso de abertura da Assembleia Geral da ONU, na terça-feira (19/09), em Nova York. Em sua fala, Temer disse que o Brasil está “resgatando o equilíbrio fiscal” apesar dos sucessivos rombos nas contas públicas de 2016, de 2017 e da estimativa para 2018. Temer também usou dados sem lastro em fontes oficiais para defender que houve redução no desmatamento da Amazônia. Leia mais aqui.

7. Dilma: Trump ameaça a humanidade e o Brasil do golpe se curvou a ele

A presidenta eleita Dilma Rousseff divulgou nota em que contestou o discurso do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, nas Nações Unidas e também a postura subalterna de Michel Temer na assembleia-geral da ONU: “O discurso colérico de Trump na ONU, instituição criada para buscar a paz e promover o convívio entre as nações, é uma ameaça à humanidade. Ao afirmar que pode destruir um país, Trump evidencia sua posição belicista, baseada na ameaça de um holocausto nuclear. Trump ataca Cuba, promete romper o acordo nuclear com o Irã e exige apoio a uma intervenção na Venezuela. As atitudes de Trump regridem à guerra fria, ameaçam nações livres e colocam a existência da humanidade em risco. É lamentável que o governo ilegítimo do Brasil tenha se curvado a Trump e se calado diante das suas ameaças de intervenção na Venezuela”. Leia mais aqui.

8. Gestão Doria fecha períodos integrais na educação infantil e preocupa pais

A gestão do prefeito da capital paulista, João Doria (PSDB), decidiu encerrar o atendimento em período integral de três escolas de ensino infantil – crianças de 4 e 5 anos – na Diretoria Regional de Ensino (DRE) do Ipiranga, sem qualquer diálogo com as famílias que hoje são atendidas. Com isso, em 2018, as crianças passarão a frequentar as aulas somente no período da manhã ou da tarde e muitos pais reclamam de não ter com quem deixar os filhos durante o período em que não serão atendidos pela rede municipal. A medida contradiz o discurso de Doria na campanha eleitoral, quando prometeu expandir o ensino integral. Leia mais aqui.

9. Assista a reportagens pela TVT

Na TVT, você assiste às reportagens e coberturas sobre os principais temas tratados pela mídia, com uma visão progressista e independente. Acesse pelo site, Facebook ou canal do Youtube da TVT.

 

Clique aqui e confira outros conteúdos do Em Pauta Conjuntura! Acesse aqui as orientações e o roteiro para a realização dos debates!

 


Banco de Políticas Públicas do PT

O Banco de Políticas Públicas do PT tem como objetivos disseminar o Modo Petista de Governar e contribuir para a elaboração de projetos pelos gestores petistas. O Banco reúne experiências desenvolvidas pelas prefeituras petistas em diversas áreas temáticas. Clique aqui para acessar e conhecer os seus conteúdos.

Campanha de apoio ao Nexo Jornal, Carta Maior, Caros Amigos, Opera Mundi, Democratize e Socialista Morena

Contribua com o jornalismo independente e a liberdade de expressão, assinando o Nexo Jornal, os boletins da Carta Maior e a revista Caros Amigos, bem como apoiando o Opera Mundi, o Democratize e o blog Socialista Morena.