s

Para acessar a área restrita use suas credenciais da Área PT

 Login

Em Pauta Conjuntura: Curso “O golpe e a economia” com a presidenta Dilma Rousseff

No dia 13 de dezembro, a Escola Nacional de Formação do PT realizará o curso temático “O golpe e a economia”, com a presidenta eleita Dilma Rousseff.

O curso buscará explicitar o papel decisivo do golpe nos rumos da economia brasileira.

Além da transmissão online, que será ao vivo no Facebook da ENFPT – www.facebook.com/ENFPToficial, também é possível assistir presencialmente. Para isso, é necessário preencher o formulário de inscrição em www.enfpt.org.br/golpe-economia e aguardar a confirmação que chegará por e-mail.

Participe!

 

Confira outros destaques:

1. Caravana Lula Pelo Brasil no Rio de Janeiro

Depois de passar pelo Espírito Santo, a Caravana Lula Pelo Brasil chegou, na tarde de terça-feira (05/12), no Rio de Janeiro, na cidade de Campos dos Goytacazes. A passagem do ex-presidente Lula pelo Estado pretende levar à população uma mensagem de esperança, principalmente aos trabalhadores e trabalhadoras que, além de terem seus diretos retirados, sofrem com o desemprego no estado.

Na quarta-feira (6/12), Lula visitou o Polo Avançado do Instituto Federal Fluminense, fruto dos programas de interiorização e expansão dos campi universitários e institutos federais criados em sua gestão. Após a vista ao Instituto, Lula seguiu para Maricá, onde participou de um ato na praça da Igreja da Matriz.

O ex-presidente chegou a Maricá em um momento bastante crítico para o estado do Rio de Janeiro. “Estamos vivendo um momento muito delicado.  Quero confessar para vocês que nunca vi o Rio tão pobre, tão infeliz, tão entristecido”, afirmou Lula, durante a abertura do ato para milhares de pessoas no centro de Maricá, cidade marcada pelo Modo Petista de Governar.

O ato de encerramento da Caravana no Rio será na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). “A visita do ex-presidente Lula à Universidade do estado do Rio de Janeiro, uma entidade tão importante, a primeira no país a adotar as cotas raciais, mas que vive um de seus piores momentos, vai ser uma mensagem de esperança”, afirmou a deputada federal Benedita da Silva, que completou: “A presença dele é simbólica nesse momento em que os servidores da UERJ, professores e equipe técnica pedem socorro”.

2. Entidades, instituições e partidos se manifestam em relação às arbitrariedade cometidas contra a UFMG

A notícia de que a Polícia Federal invadiu a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) na quarta-feira (06/12), levando em condução coercitiva o reitor e a vice-reitora, em uma operação sintomaticamente denominada “Esperança Equilibrista”, comprova o avanço político do estado de exceção. A operação visa apurar desvios no Memorial da Anistia, construído pela UFMG. Assim como no caso da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), repete-se a combinação de PF, Controladoria Geral da União (CGU) e Tribunal de Contas da União (TCU). Além dos docentes da UFMG, várias entidades, instituições de ensino, partidos, movimentos sociais e lideranças políticas se manifestaram contra a ação.

Em nota, a Comissão Executiva Nacional do PT repudiou a violência e o abuso de poder na invasão da universidade: “Nada, em nenhuma hipótese investigativa, justificaria a invasão da UFMG e a condução coercitiva sem base legal de seu reitor, da vice-reitora e de renomados pesquisadores. Assim como ocorreu no caso que levou ao suicídio do reitor Carlos Cancellier, da UFSC, foram violados os direitos dos cidadãos e a autonomia universitária, numa ação dirigida para humilhar, intimidar e destruir, através da mídia, a reputação das vítimas. O Ministério da Justiça, o Conselho Nacional do Ministério Público e o Conselho Nacional de Justiça têm de prestar contas à sociedade, diante da banalização destes abusos, por parte de policiais e procuradores, e de juízes de primeira instância que os referendam. É ainda mais grave que, no caso da UFMG, o abuso de poder tenha se dirigido a um projeto – o Memorial da Anistia – que simboliza exatamente a luta da sociedade brasileira contra a ditadura e o pleno restabelecimento da democracia e do estado democrático de direito”.

3. Trabalhadores prometem parar o país se o Congresso Nacional votar reforma

Em ato na tarde de terça-feira (05/12) na Avenida Paulista, em São Paulo, lideranças dos trabalhadores prometeram parar o país se o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), colocar em votação a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, da “reforma” da Previdência. O projeto pode ir para o plenário da Câmara no próximo dia 13. O bordão repetido pelos participantes da manifestação, convocada pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, é “Se botar pra votar, o país vai parar”. O presidente da CUT, Vagner Freitas, afirmou no ato que a pressão popular já é vitoriosa e ganhou o debate sobre as mudanças no sistema previdenciário, tanto que os deputados, segundo ele, estariam com medo de perder votos de suas bases e já estão recuando. Leia mais aqui.

4. ‘Governo precisa entregar privatização da Previdência a quem patrocinou o golpe’

Por conta das dificuldades de conseguir reunir 308 votos para aprovar a “reforma” da Previdência, o governo Temer tem sido cauteloso. É um quórum alto e difícil de atingir, principalmente para aprovar uma PEC que retira direitos da população que no ano que vem vai votar em deputados e senadores. Mas para Carlos Eduardo Gabas, ministro da Previdência dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, apesar da cautela, o governo pode conseguir o objetivo. “A conta que ele precisa entregar para quem patrocinou o golpe é a privatização da Previdência. Por isso vai jogar todas as fichas. Meu alerta às entidades sindicais, centrais, movimentos populares, é que não desmobilizem, porque eles têm possibilidade de aprovar na semana que vem”. O governo faz um esforço final para aprovar a PEC em primeiro turno no dia 13, quarta-feira. “Se continuarem comprando deputados, podem conseguir número suficiente para aprovar na semana que vem”, disse Gabas. Leia mais aqui.

5. Leia a íntegra do depoimento de Tacla Duran, o homem que desnudou Moro

Na semana passada, o depoimento do ex-advogado da Odebrecht, Rodrigo Tacla Duran, à CPI da JBS no Senado, abalou a chamada “república de Curitiba”. Duran, em seu depoimento, desnudou os métodos de Moro para conseguir delações premiadas na Lava Jato. Acusado de lavagem de dinheiro, o ex-advogado recebeu de um intermediador de Moro propostas ilegais de delação premiada e tem provas que colocam em xeque a atuação do juiz de Curitiba. A imprensa tradicional brasileira ignorou o fato, mas trechos de seu depoimento foram publicados com destaque pela imprensa alternativa. Na segunda-feira (04/12), o site do Senado Federal divulgou a íntegra do depoimento do ex-advogado. Leia mais aqui.

6. Reforma trabalhista é risco para a Previdência Social

A Reforma Trabalhista que entrou em vigor no país recentemente representa, por si só, um risco para a Previdência Social brasileira. É o que discute texto ainda em caráter preliminar de pesquisadores do Instituto de Economia da Unicamp, Arthur Welle, Flávio Arantes, Guilherme Mello, Juliana Moreira e Pedro Rossi. Os pesquisadores realizaram um cálculo das perdas para a Previdência causadas pela pejotização de trabalhadores, que ocorre com a reforma trabalhista, bem como os ganhos com a formalização dos conta-própria e dos trabalhadores sem carteira. Por exemplo, com a pejotização (em que empregados com carteira do setor privado que contribuíam no regime geral da Previdência migram para a contribuição do sistema SIMPLES ou MEI), a Previdência Social perde, em média, R$3.727,06 de contribuição por ano por trabalhador representativo. Leia mais aqui.

7. Justiça determina reajuste de 10,5% a professores do ensino público de SP

Em decisão final, o Tribunal de Justiça (TJ-SP) determinou, na terça-feira (05/12), que o governo do estado de São Paulo reajuste salários de todos os professores de educação básica I, da ativa e aposentados, com extensão a todos os demais cargos do magistério e reflexos em toda a carreira. “Não se trata mais de liminar e sim de decisão de segunda instância, que o governo estadual será obrigado a cumprir, retroativamente a janeiro de 2017”, afirmou em nota o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo (Apeoesp). Leia mais aqui.

8. MTST ocupa sede da Secretaria de Habitação de SP

Integrantes do MTST ocuparam, na quarta-feira (06/12), a sede da Secretaria de Habitação do Estado, na região central de São Paulo. O movimento calcula que 6 mil pessoas participaram do ato e cem entraram no local. A ocupação tem o objetivo de pressionar o governo do Estado diante da ameaça de reintegração de posse determinada pelo TJ-SP no terreno de São Bernardo do Campo. Em assembleia, o líder do movimento, Guilherme Boulos, comunicou que a ocupação será mantida até que o governo assuma o compromisso de construir moradia popular para as 8 mil famílias sem teto. Leia mais aqui.

9. Bancada pede que PGR investigue relação Governo Temer/Shell e denúncias de Tacla Duran

A Bancada do PT na Câmara ingressou com duas representações, na terça-feira (05/12) junto à Procuradoria-Geral da República (PGR), pedindo a investigação de dois episódios que representam verdadeiro e inequívoco atentado à soberania nacional e ao Estado democrático de direito. Um dos pedidos é para que o Ministério Público Federal (MPF) averigue a interferência do governo britânico junto ao governo ilegítimo de Michel Temer para favorecer multinacionais do petróleo – em especial, a Shell. O segundo pedido é para que o órgão investigue as denúncias feitas pelo advogado Rodrigo Tacla Duran, à CPMI da JBS, que colocam em xeque a operação Lava Jato. Leia mais aqui.

10. Honduras: policiais se negam a reprimir protestos e cobram respeito às urnas

Grupos de policiais de Honduras se negaram, no início da madrugada de terça-feira (05/12), a reprimir manifestações populares contra as possíveis fraudes no processo eleitoral do país. O presidente Juan Orlando Hernández foi anunciado como vencedor, mas o pleito é contestado pelo candidato de oposição Salvador Nasralla, da Aliança de Oposição contra a Ditadura. “Nosso povo é soberano e a eles devemos, portanto não podemos estar confrontando e reprimindo seus direitos”, afirmou a Direção Nacional de Forças Especiais da Polícia Nacional de Honduras, em um comunicado. Leia mais aqui.

11. Assista a reportagens pela TVT

Na TVT, você assiste às reportagens e coberturas sobre os principais temas tratados pela mídia, com uma visão progressista e independente. Acesse pelo site, Facebook ou canal do Youtube da TVT.

Clique aqui e confira outros conteúdos do Em Pauta Conjuntura! Acesse aqui as orientações e o roteiro para a realização dos debates!

Banco de Políticas Públicas do PT

O Banco de Políticas Públicas do PT tem como objetivos disseminar o Modo Petista de Governar e contribuir para a elaboração de projetos pelos gestores petistas. O Banco reúne experiências desenvolvidas pelas prefeituras petistas em diversas áreas temáticas. Clique aqui para acessar e conhecer os seus conteúdos.

Campanha de apoio ao Nexo Jornal, Carta Maior, Caros Amigos, Opera Mundi, Democratize e Socialista Morena

Contribua com o jornalismo independente e a liberdade de expressão, assinando o Nexo Jornal, os boletins da Carta Maior e a revista Caros Amigos, bem como apoiando o Opera Mundi, o Democratize e o blog Socialista Morena.