O PT concebe o desenvolvimento sustentável como sendo a articulação do desenvolvimento social, ambiental, econômico, cultural, político e ético, na perspectiva da preservação da vida e dos recursos naturais para as gerações atuais e futuras. Signi!ca dizer que os ganhos e benefícios do desenvolvimento econômico devem ser apropriados por toda a população e não devem acarretar o desequilíbrio ecológico, ambiental ou destruir os recursos naturais.

Nesta seção, a ENFPT vai apresentar conteúdos importantes sobre esta temática:

Economia da cultura comum

Há uma série de coletivos engajados em promover a democratização dos meios de produção cultural. Em bairros da periferia de São Paulo a criação de bancos populares fomenta o desenvolvimento das atividades econômicas e melhora as relações entre os moradores e a cidade através da circulação de moedas sociais aceitas no comércio local.

Muito além da economia verde

Mais do que repensar as bases tecnológicas da economia contemporânea, é preciso repactuar a forma como as sociedades contemporâneas usam as bases energéticas, materiais e bióticas das quais depende sua reprodução. Segundo Ricardo Abramovay, essa repactuação passa por um debate social que apenas se inicia, e para o qual talvez a Rio+20 possa dar uma contribuição sobre os significados e os objetivos do crescimento econômico.

PT aponta desafios para Rio+20

Iole Ilíada fala das atividades do PT na conferência das Nações Unidas coordenadas pela Secretaria de Relações Internacionais (SRI) que deverão envolver todos os setoriais do partido.

Zaratini: Brasil precisa de defesa à altura do seu desenvolvimento

Zaratini, que que integra a Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados e preside a Frente Parlamentar de Defesa, fala sobre a tramitação do tema da Defesa no Legislativo e a importância do debate para a sociedade e para o Partido dos Trabalhadores.