s

Para acessar a área restrita use suas credenciais da Área PT

 Login

Em Pauta Conjuntura: A invasão policial à escola do MST

 

Na sexta-feira (04/11), a polícia de São Paulo invadiu a escola Florestan Fernandes, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), em Guararema (SP), sem mandado de busca e apreensão e sem qualquer cuidado.  Truculentos, os policiais chegaram por volta das 9h25, em dez viaturas, pularam o portão da escola e a janela da recepção e entraram atirando. Dois militantes foram detidos. Estilhaços recolhidos comprovam que as balas não eram de borracha. A política atirou para ferir e para matar.

A professora Silvia Beatriz Adoue, da escola Nacional Florestan Fernandes, relatou em postagem no Facebook como foi a invasão policial. Silvia também mencionou a invasão, simultaneamente, em Sidrolândia (MS), por policiais no Centro de Pesquisa e Capacitação Geraldo Garcia (Cepege). “Também sem mandado de busca e apreensão, procuravam uma pessoa do estado de Paraná que não acharam na escola”, conta. Para a professora, o ingresso truculento em duas escolas destinadas à qualificação de camponeses visa não apenas a “criminalizar a luta pela reforma agrária, mas a luta pela educação, tentando apresentar os locais de formação como refúgio de criminais e a própria educação do campo como perigosa para a sociedade”.

No sábado (05/11), a Escola foi palco de um significativo ato de solidariedade ao MST. O evento contou com a presença do ex-presidente Lula, parlamentares e docentes da escola de diversas partes do mundo, como Tunísia, Estados Unidos, Cuba, Marrocos, Venezuela, Canadá, Palestina, Nigéria, entre outros, marcaram presença e apoio ao MST e à escola. Estava ainda presente no ato em Guararema (SP) o presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão. Entre os parlamentares que foram condenar o ataque injustificado ao movimento social estavam o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), os deputados Nilto Tatto (PT-SP), Paulo Teixeira (PT-SP) e Vicentinho (PT-SP) e o vereador Eduardo Suplicy, além de dezenas de representantes de outros movimentos sociais, sindicatos, entidades estudantis e de outros partidos do campo progressista.

O ex-presidente Lula fez um discurso firme onde destacou que o mesmo movimento que articulou o golpe contra a presidenta eleita Dilma Rousseff e que o persegue no judiciário agora tenta criminalizar os movimentos sociais. “Vim aqui para me solidarizar e para tentar discutir o que está ocorrendo no país. É hora de construir uma coisa muito forte, não um partido, mas uma unidade da esquerda”, disse ele.

A ex-presidenta Dilma Rousseff usou seu perfil no Facebook para repudiar a invasão violenta da Policia Civil na Escola do MST. O post recebeu o título de “estado de exceção” e Dilma comentou casos recentes de truculência policial contra movimentos sociais como a ocupação das escolas e o MST. “É lamentável que a semana termine com novos assaltos aos direitos civis e a tentativa de criminalizar os movimentos sociais. O atropelo às regras do Estado de Direito, com a adoção de claras medidas de exceção, deve ser combatido. É uma ameaça à democracia que envergonha o País aos olhos do mundo”, escreveu.

A Bancada do PT na Câmara dos Deputados, por meio do líder Afonso Florence e pelo coordenador do Núcleo Agrário do PT na Câmara, deputado João Daniel, divulgou nota oficial de repúdio à violência policial contra o MST. A nota cita expressamente os governadores tucanos Geraldo Alckmin (SP), Beto Richa (PR) e Reinaldo Azambuja (MS), bem como o presidente golpista Michel Temer.

A Bancada do PT no Senado também manifestou, em nota, total e irrestrito apoio aos estudantes e trabalhadores da Escola Nacional Florestan Fernandes. Segundo a nota, a invasão da escola do MST, de forma alguma um incidente isolado, demonstra que o Estado de Exceção criado pelo golpe tenta criminalizar os movimentos sociais legítimos e quaisquer formas de protesto, mesmo as mais pacíficas.

Personalidades usaram as redes sociais para mostrar indignação sobre a ação policial na escola do MST. O ator Wagner Moura manifestou o seu apoio aos estudantes das ocupações no país e repudiou a ação policial sobre a Escola Florestan Fernandes. O ator Fábio Assunção também criticou a ação policial e apoiou os alunos. “Os estudantes estão em um movimento pacífico e estou aqui prestando a minha solidariedade. Ofereço também o meu apoio aos movimentos sociais que são legítimos. Não se pode coibir a expressão do cidadão brasileiro”, enfatizou.

 

Confira outros destaques:

1. Movimentos lançam campanha em defesa de Lula no dia 10 de novembro

Lideranças de movimentos sociais, sindicatos e partidos políticos lançarão, no dia 10 de novembro, em São Paulo, uma campanha em defesa da democracia, do estado de direito e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A campanha “Por um Brasil justo pra todos e pra Lula” será lançada na Casa de Portugal, na capital paulista, na próxima quinta-feira (10), a partir das 18h30. O objetivo da campanha é iniciar um amplo movimento por todo País, e também no exterior, com eventos e manifestações contra as perseguições ao ex-presidente Lula e em defesa da democracia. Leia mais aqui.

2. Embaixada do Brasil nos EUA prepara cartilha para explicar o golpe

A embaixada do Brasil em Washington, sob o comando do ex-ministro do Desenvolvimento Sergio Amaral, prepara a confecção e distribuição de uma cartilha para justificar o impeachment de Dilma Rousseff para a opinião pública nos EUA. Serão três mil exemplares direcionados a jornalistas, empresários, congressistas e formadores de opinião em geral. O objetivo do livrinho é passar a versão de Michel Temer sobre como ocorreu o afastamento da presidente eleita. Leia mais aqui.

3. Parlamentares do PT manifestam apoio às ocupações estudantis

O juiz Alex Costa de Oliveira, da Vara da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), autorizou no último domingo (30/10) o uso de técnicas de tortura para “restrição à habitabilidade” das escolas, com objetivo de convencer os estudantes a desocupar uma unidade de ensino na cidade satélite de Taguatinga (DF). No mandado de reintegração de posse do Centro de Ensino Ave Branca (CEMAB), o juiz autorizou o isolamento físico e o uso de equipamentos sonoros para impedir o sono dos estudantes, a maioria formada por menores de 18 anos. Em resposta a essa decisão, os deputados Paulo Pimenta (PT-RS) e Erika Kokay (PT-DF) protocolaram uma representação no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) denunciando o juiz Alex Costa. Leia mais aqui.

4. Comissão do Senado pede punição para Juiz que mandou torturar alunos de escola ocupada

A Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado apresentou ao Conselho Nacional de Justiça uma reclamação disciplinar contra o juiz Alex Costa de Oliveira, em plantão na Vara da Infância e Juventude do Distrito Federal, por ter determinado o uso de tortura contra estudantes secundaristas que ocupavam o Centro de Ensino Asa Branca (CEMAB), em Taguatinga (DF). Os alunos protestavam contra a tentativa da gestão Temer de mudar a dinâmica e o currículo do ensino médio por meio de uma medida provisória. Leia mais aqui.

5. Centrais reúnem dirigentes do setor de transporte para preparar dia nacional de greve

CUT, UGT, Nova Central Sindical, Força Sindical, Intersindical, CTB e Conlutas organizam para sexta-feira (11/11) o dia nacional de greve contra a retirada de direitos dos trabalhadores já posta em prática pelo governo Michel Temer. Na terça-feira (8), às 10h, na quadra do Sindicato dos Bancários de São Paulo, no centro da capital, sindicalistas dos setores de transportes das centrais farão uma assembleia nacional com objetivo de preparar os trabalhadores dos modais aéreo, rodoviário, portuário, viário, ferroviário, metroviário, moto-táxi e de cargas (caminhoneiros) para participar da mobilização. Leia mais aqui.

6. Frente Ampla: quem, como, por quê?

Desde que ficou configurado o golpe no Brasil, muitos setores das esquerdas falam na formação de uma Frente Ampla. Há uma vaga inspiração uruguaia, país em que as forças políticas da centro-esquerda em diante conseguiram construir uma unidade duradoura, a despeito de suas diferenças, e em que ocupam a presidência já por três mandatos, com alguns ganhos notáveis, como a legalização do aborto (mas um registro bem mais ambíguo em outras pautas). Leia mais aqui.

7. Assista a reportagens pela TVT

Na TVT, você assiste às reportagens e coberturas sobre os principais temas tratados pela mídia, com uma visão progressista e independente. Acesse pelo site, Facebook ou canal do Youtube da TVT.

 

Curso de transição para prefeitos(as) eleitos(as)

A Escola Nacional de Formação do PT está preparando o Curso para Prefeitos(as) Eleitos(as). A realização do curso está prevista para o início de dezembro. No curso, serão apresentadas as regras para a transição, entre outros temas de interesse de uma gestão petista.

Campanha de apoio ao Nexo Jornal, Carta Maior, Caros Amigos, Democratize e Socialista Morena

Contribua com o jornalismo independente e a liberdade de expressão, assinando o Nexo Jornal, os boletins da Carta Maior e a revista Caros Amigos, bem como apoiando o Democratize e o blog Socialista Morena.