s

Para acessar a área restrita use suas credenciais da Área PT

 Login

Aécio nada entende do Nordeste e do Bolsa família, diz ministra

 

Candidato colocou em dúvida o Cadastro Único, uma tecnologia desenvolvida pelo Estado Brasileiro, dos municípios à União

A ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello considerou absurdas as declarações do candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves. Na quarta-feira (27), ele duvidou da transparência da gestão do programa Bolsa Família. “O cadastro do Bolsa Família é uma caixa-preta”, disse o tucano na sabatina do jornal O Estado de S. Paulo.

Segundo a ministra, a afirmação demonstra, no mínimo, completa desinformação, pois o Cadastro Único é uma das ferramentas mais reconhecidas nacional e internacionalmente pela sua transparência e qualidade técnica. Trata-se de uma parceria do Governo Federal com todos os municípios do Brasil. “Cada Município gere as informações e tem total acesso a elas”, informa Tereza. “Também os Governos Estaduais têm acesso e gestão sobre o CadUnico e a todos os dados do Bolsa Família. É espantoso que um ex-governador não saiba disto”.

Tereza lembrou também que órgãos de controle auditam e tem acesso permanente ao Cadunico. “Os dados dos beneficiários e os valores recebidos por cada família estão disponíveis permanentemente no Portal da Transparência da CGU”, conta a ministra, “qualquer um pode acessar a qualquer tempo”.

Tecnologia – O CadUnico é uma tecnologia brasileira que tem informações multidimensionais, com mais de 100 diferentes dados para cada um dos mais de 74 milhões de Brasileiros cadastrados. “Hoje é usado como exemplo por dezenas de países no mundo”, informa Tereza. As informações do Cadastro Único são utilizadas por mais de 18 programas coordenados pelo Governo Federal, além de ações de estados e municípios, para atender as necessidades dos mais pobres.

É o cadastro que permite ao governo agir sobre a pobreza de forma multidimensional, atingindo suas diversas faces. “Foi o Cadastro que permitiu sermos ousados e construirmos o Plano Brasil sem Miséria. Novamente, impressiona que o ex-governador não saiba disso.
Chamar hoje o Cadastro Único de caixa preta é um desrespeito com os 5,570 municípios parceiros”, comentou.

Tereza explica que a ferramenta é um trabalho coletivo do Estado Brasileiro, premiado e reconhecido no mundo. Para ela, o candidato deveria, isso sim, vir a público apresentar o obscuro programa Travessia, “que atravessou oito anos do seu governo e ninguém sabe a que veio e quais os reais impactos sobre os mais pobres”.

Nordeste – Tereza reagiu também ao comentário de Aécio, para quem a atuação dos governos do PT no Nordeste teria se resumido ao Bolsa Família. Para ela, o candidato ignora que 1,5 milhão de lares no Nordeste receberam energia elétrica com o Luz para Todos. “São 6 milhões de brasileiros retirados da idade média, que tinham sido abandonados às trevas pelo Governo do PSDB”, diz Tereza.

Aécio também não sabe que 1 milhão de cisternas garantem água no Semiárido nordestino para 4 milhões de brasileiros, assegurando o armazenamento de 20 bilhões de litros de água. Ela lembra que o programa de ensino técnico Pronatec atendeu a 2,2 milhões de nordestinos ou que  4 milhões de operações de credito produtivo viabilizaram o microempreendedor mais pobre da região, segundo o Cadastro Único.

No Nordeste, nos últimos 12 anos, foram gerados 4 milhões de empregos formais. “As oportunidades criadas nestes 12 anos dos governos Lula e Dilma foram enormes e beneficiaram principalmente o Nordeste, cuja renda cresceu à taxa de 4,2% ao ano, 45% acima da média nacional”, explica Tereza. “Ou seja, fizemos muito mais que tirar 36 milhões de brasileiros da miséria, dos quais 20,5 milhões são nordestinos. Que por si já seria um feito que deveria ser reconhecido por qualquer candidato sério, preocupado em reduzir a pobreza e enfrentar as desigualdades regionais”.

Fonte: Site do PT