s

Para acessar a área restrita use suas credenciais da Área PT

 Login

Petistas comemoram conclusão de estudo da Funai sobre terras dos guaranis kaiowás

Os deputados petistas Domingos Dutra (MA), presidente da Comissão de Direitos Humanos (CDH), e Padre Ton (RO), presidente da Frente Parlamentar de Apoio aos Povos Indígenas, comemoraram a conclusão do estudo recomendado pela Fundação Nacional do Índio (Funai) que reconheceu como território tradicional a terra indígena dos Guaranis Kaiowás, situada na cidade de Iguatemi, em Mato Grosso do Sul. O território indígena abrange uma área de cerca de 40 mil hectares.

Domingos Dutra destacou a relevância do resultado do estudo da Funai e reafirmou a necessidade da resolução definitiva da questão. “Esse é um passo importante rumo à demarcação definitiva das terras dessa comunidade indígena. Esperamos que o governo e o Judiciário atuem com firmeza e concluam o processo demarcatório desse território”, afirmou o petista.

O presidente da Frente Parlamentar de Apoio aos Povos Indígenas, deputado Padre Ton, compartilha do mesmo pensamento e acrescenta que a CDH da Câmara acompanhou todo o processo vivido por essa comunidade. “A situação é alarmante. Esse reconhecimento da Funai é importante e abre o caminho para a demarcação, mas é bom reafirmar que essas terras já pertenciam aos índios”, lembrou Padre Ton.

Indenização

O estudo aponta a existência de 1.793 índios da etnia Guarani Kaiowá, que vivem no na região. Desse universo, 170 membros da comunidade divulgaram, no ano passado, uma carta em que relatavam a importância das terras para essa comunidade. Nessa área, de acordo com o documento, existem 46 fazendas de propriedade de agricultores e pecuaristas.

De acordo com Domingos Dutra e Padre Ton, a disputa territorial precisa ser resolvida de forma pacífica. Eles defendem que o governo busque uma saída que comtemple os índios e os produtores, que, segundo eles, atuam naquela localidade com o consentimento do governo.

“Somos a favor da indenização dos produtores. Existe vontade política tanto do governo local quanto do governo federal em resolver a situação de forma pacífica. É preciso buscar caminhos que acomodem índios e produtores e, dessa forma, resolver o impasse”, avaliou Padre Ton.

Fonte: Site do PT