s

Para acessar a área restrita use suas credenciais da Área PT

 Login

Educação indígena

A opinião da maior parte dos indígenas que residem nas cidades entrevistados, a escolas locais estão preparadas para ter alunos indígenas, um terço (32%), entretanto, avaliam que as escolas locais não têm este preparo.

A educação bilíngüe, com o ensino do português e da língua nativa, é considerado o aspecto mais importante para a educação dos indígena que residem nas cidades, segundo 15% dos próprios. Já a população nacional considera que o ponto mais importante seria o acesso ao ensino fundamental nas aldeias (27%), aspecto que somente 9% dos indígenas atribui como o mais importante.

Além da educação bilíngüe, os indígenas não aldeados consideram como mais importante terem professores nativos, aprender sobre a história, cultura e tradição de seus povos e cotas ou facilidade de acesso ao ensino superior ( 14%, 13% e 12%, respectivamente).

Na soma das menções a hierarquia e taxas mudam mas são os mesmo itens que permanecem como os mais importantes para a educação dos indígenas nas cidades, liderando como aspectos importantes o aprendizado sobre a história e cultura indígena, segundo 32% dos indígenas urbanos, seguido por educação bilíngüe (28%) e cotas ou facilidade de acesso ao ensino superior (27%) e professores nativos (26%).

Os indígenas que residem nas cidades consideram que a preservação da cultura indígena é o principal objetivo com que a educação indígena deve se preocupar (36% como principal objetivo e 63% quando considerada a soma das menções), seguido pelo preparo do indígena para o mercado de trabalho formal (25% e 43%) e para enfrentarem os brancos e lutarem pelos seus direitos (18% e 38%).

A população brasileira concorda com as duas prioridades, (com taxas de 29% e 51% para preservação da cultura e 25% e 42% para ingresso no mercado formal de trabalho), mas diverge no terceiro aspecto, considerando mais importante que a educação indígena prepare os índios para entenderem a realidade e a sociedade brasileira (16% e 39%) ao invés de enfrentarem os brancos e lutarem por seus direitos (7% e 22%).

Faça o download do capítulo 9.

Fonte: Portal FPA

Foto: Índio da Terra Indígena Xavante São Marcos, julho de 2012/ Crédito: Rafael Franco Coelho – Projeto Aldeia Digital