s

Para acessar a área restrita use suas credenciais da Área PT

 Login

Capítulo 13 – Ameaças às terras indígenas

Pouco mais de metade da população brasileira (54%) considera que as terras destinadas aos povos indígenas no Brasil são insuficientes para que desenvolvam seu modo de vida de forma adequada e cerca de 3 em cada 10 pessoas (31%) consideram suficientes. Os moradores das regiões Norte e Centro-Oeste ao os que mais consideram suficientes a área destinada a territórios indígenas (49% e 38%, na ordem), assim como os que residem em municípios que possuem terras indígenas (41%).

Na opinião da maior parte da população, entretanto, os índios correm o risco de perdem suas terras (79%), e somente 13% acham que não existe este risco. Os que sentem maior ameaça são os entrevistados de origem indígena (87%) enquanto os da região Centro-Oeste são os mais otimistas quanto a esta possibilidade (19%).

Os grandes fazendeiros são considerados a grande ameaça às terras indígenas, segundo 40% da população brasileira, mais que o dobro do risco apresentado pelos não indígenas, segundo colocado com 18% de menções, o governo brasileiro, com 16% e as indústrias nacionais 12%.

Entrevistados das regiões Norte e Nordeste são os que mais ressaltam o risco apresentado pelos grandes fazendeiros (47% e 49%); os residentes nas cidades da região metropolitana destacam o risco apresentado pelo homem branco em geral (27%), e os residentes nas grandes cidades chamam a atenção para o risco que representa o Governo (23%). Os entrevistados de origem indígena percebem como maior ameaça às terras indígenas além dos grandes fazendeiros, as indústrias nacionais (21%).

Comparando a preocupação dos dois últimos governos, o de Lula e FHC, com o reconhecimento e a legalização das terras indígenas, para a opinião pública a preocupação do governo Lula foi maior, com 17% que consideram que este governo se preocupou muito com isso e 39% um pouco, índice de preocupação sensivelmente maior do que o percebido na gestão anterior (56%, contra 30% que perceberam alguma preocupação do governo FHC, 4% acham que houve muita preocupação e 26%, um pouco). Um terço da população afirma que o governo de Fernando Henrique Cardoso não se preocupou com o reconhecimento e legalização das terras indígenas, mais que o dobro dos que tem esta opinião sobre o governo Lula (14%).

Os entrevistados que mais observaram preocupações do Governo de FHC com a regularização de terras indígenas foi os da região Centro-Oeste (39%), enquanto os da região Norte (44%), das capitais (38%) e os de descendência negra e indígena (39% e 52%) são os que mais consideram que o governo de FHC não se preocupou com esta questão.

Já a preocupação do Governo Lula com a regularização das terras indígenas é mais notada na região Norte (79%), nas cidades da região metropolitana (61%) e entre os negros e indígenas (61% e 69%, na ordem). A ausência de preocupações deste governo com a regularização das TIs é mais mencionada entre os entrevistados da região Sul (21%).

Para 4 em cada 10 brasileiros o número de territórios indígenas reconhecido pelo governo Lula foi maior do que o reconhecido por seu antecessor, 5% afirmam que Lula reconheceu menos terras indígenas que FHC e 16% afirmam que ambos reconheceram um número de territórios semelhantes. A taxa dos que não souberam opinar sobre esta questão é bastante alta: 40%.

Os que mais perceberam maior reconhecimento de territórios indígenas no governo de Lula foram os residentes na região Norte (53%), os que residem em municípios onde existem Terras indígenas (45%) os negros e indígenas (45% e 56%, na ordem).

Faça o download do capítulo 13.



















Fonte: Portal FPA