O Partidos dos Trabalhadores e o PCdoB anunciaram, na noite de domingo (05/08), um dia após o Encontro Nacional que homologou a candidatura de Lula à Presidência da República, uma grande aliança da centro-esquerda em torno de Lula, Fernando Haddad e Manuela D`Ávila. Assista ao anúncio aqui.

“O PT reitera que vamos com Lula até as últimas consequências. Por isso, a ideia é que tenha uma pessoa para vocalizar sua campanha e essa missão seria feita através de um companheiro do PT, que tenha identificação com Lula e que seja seu amigo. Então decidimos, junto com o PROS, PCdoB e PCO, que o Fernando Haddad é o vice na nossa chapa”, anunciou a presidenta do PT, Gleisi Hoffmann, sob os aplausos da juventude petista que acompanhou a coletiva.

Em seu pronunciamento, Haddad agradeceu o apoio e destacou a importância da união da centro-esquerda com a aliança fechada entre PT, PCdoB, PROS e PCO em torno de Lula. “Fico muito feliz com a unidade em torno dessa figura extraordinária, o maior líder da esquerda que é o presidente Lula. Vamos, pela quinta vez, junto com o PCdoB, e tenho certeza que vamos para um pentacampeonato. Mesmo com toda perseguição, Lula só cresce nas pesquisas, e vai ser um prazer cruzar o país ao lado de Manu. Agora, vamos compatibilizar nossos programas”, afirmou Haddad.

Ao lado de Luciana Santos, presidenta nacional do PCdoB, Gleisi também anunciou que a partir de segunda-feira (06/08) Manuela e Haddad já começam a percorrer o país levando a candidatura de Lula a todos os rincões do Brasil. “Nós entendemos que a candidatura de Manu cumpriu um papel muito importante na construção dessa unidade para dar sustentação a Lula e a uma aliança do campo progressista e popular. O convite feito por Lula traz uma mulher jovem, com força e vigor. Estamos muito felizes com o convite de Lula ao PCdoB”.

Luciana Santos, presidenta nacional do PCdoB, falou em nome do partido sobre a aliança anunciada no domingo. Para a dirigente, a unidade que vem sendo pregada pelo PCdoB se consolidou neste dia 5. Para a presidenta, a esquerda precisa se unir para barrar os retrocessos do golpe sob a liderança de Lula, candidato à Presidência não só pelo PT, mas agora também pelo PCdoB, PROS e PCO.

“Precisamos interromper essa agenda antipovo, antinacional que desde o golpe assola o país e promove tantos retrocessos. Por isso, as eleições deste ano ganham uma dimensão extraordinária, pois temos a oportunidade de retomar o projeto popular para o Brasil. Nos 13 anos de Lula e Dilma, tivemos o enfrentamento das desigualdades regionais, o Brasil saiu do Mapa do Fome, foram criadas as escolas técnicas, então, foi um período virtuoso de inclusão social. Agora, Manu e Haddad vão rodar o país fazendo essa defesa”, afirmou Luciana Santos.

Na tarde de sábado (04/08), milhares de delegados, dirigentes e militantes se reuniram em um grande ato que homologou Lula como o candidato do PT à Presidência da República. No primeiro encontro nacional sem a presença de Lula, preso político há quatro meses, a legenda aclamou Lula candidato e reiterou que o ex-presidente será registrado no próximo dia 15 com uma grande marcha a Brasília. Baixe aqui o panfleto para o registro da candidatura de Lula.

“Este encontro nacional do PT talvez seja um dos mais importantes em toda a história do nosso partido. É enorme a responsabilidade que temos pela frente. A decisão de hoje vai nos conduzir a uma luta sem tréguas pela democracia, pelo povo brasileiro e pelo Brasil”, afirmou Lula em carta lida no evento, ao lembrar que este foi o primeiro encontro nacional petista sem a sua presença. “Mas sei que estou presente por meio de cada um de vocês, cada dirigente, delegado e militante do PT”, escreveu o ex-presidente.

Na carta, Lula ponderou que a caçada jurídica que o tem como alvo afeta a todo povo brasileiro. “Já derrubaram uma presidenta eleita; agora querem vetar o direito do povo escolher livremente o próximo presidente. Querem inventar uma democracia sem povo”, ressaltou.

 

Confira outros destaques:

1. Lula pode, sim, ser candidato: a Constituição permite, o povo quer

O direito de Lula ser candidato à presidência da República está garantido na Constituição. O presidente mais querido do país e líder absoluto em todas as pesquisas será o candidato do povo nessas eleições de 2018 e terá seu registro oficializado no dia 15, em Brasília, em um grande ato nacional com os movimentos sociais e lideranças políticas. Com base na legislação eleitoral e nos direitos constitucionais do ex-presidente, o site “Lula pode ser candidato” reúne uma série de textos e informações acerca da legalidade de sua candidatura com base na análise dos mais respeitados e experimentados juristas e advogados do Brasil e do mundo. Todo o conteúdo é explicado de forma simples, além de pesquisas que mostram as intenções de voto para que não reste dúvidas de que no dia 7 de outubro é Lula. Conheça o site aqui.

2. Dia do Basta e defesa do registro da candidatura de Lula são prioridades da CUT

A Direção Executiva da CUT, reunida em São Paulo, no dia 25 de julho, reafirmou que as mobilizações dos dias 10 e 15 de agosto são urgentes e prioritárias para colocar nas ruas a pauta de reivindicações dos trabalhadores e trabalhadoras em defesa de seus direitos e a liberdade do ex-presidente Lula. No dia 10 de agosto, o Dia do Basta, a CUT convoca sua base e entidades filiadas à luta para exigir um basta de desemprego, de aumento do preço do gás de cozinha e dos combustíveis, de retirada de direitos da classe trabalhadora, de privatizações e de perseguição ao ex-presidente Lula. Já no dia 15 de agosto, data do registro da candidatura de Lula à Presidência da República no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a CUT estará presente em Brasília, apoiando e reforçando a posição da Central em defesa da democracia e contra a farsa de setores do Judiciário para impedir que Lula seja candidato nas eleições de outubro. Leia mais aqui.

3. Recorde histórico: 65,6 milhões sem emprego no Brasil

O número de pessoas que não trabalham e nem procuram emprego bateu recorde no país. Apesar da taxa de desemprego ter desacelerado no segundo trimestre do ano, o contingente fora da força de trabalho chegou a 65,6 milhões, alta de 1,2% sobre o período anterior e o mais alto da série histórica do IBGE, iniciada em 2012, informou o órgão na terça-feira (31/07). As pessoas que estão fora da força de trabalho são indivíduos em idade para trabalhar, mas que não estão em busca de oportunidade. Isso ocorre, geralmente, por conta do desalento, que é quando a pessoa desiste de procurar emprego depois de tentar sem sucesso. Leia mais aqui.

4. Maduro sofre atentado por drones e responsabiliza governo colombiano

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, sofreu um atentado por drones armados com explosivos, durante um ato público com desfile militar em Caracas, na tarde de sábado (04/08), e acusou o governo da Colômbia, chefiado por Juan Manuel Santos, de ser responsável. As explosões deixaram seis feridos da Guarda Nacional Bolivariana, que estavam no desfile, e foram imediatamente levados a hospitais para recuperação. Maduro teve que ser evacuado neste domingo, após rumores de que outro ataque poderia ocorrer. De acordo com Maduro, já foram capturadas provas que ligam o atentado ao governo colombiano. O ministro do Interior, Justiça e Paz da Venezuela, Néstor Reverol, anunciou no domingo (05/08) que seis pessoas foram detidas por envolvimento no atentado.

5. Interpol põe em xeque conduta de Moro e retira Duran do alerta vermelho

A Interpol eliminou o nome de Rodrigo Tacla Durán da lista de procurados internacionais. Para justificar a retirada do alerta vermelho contra o advogado que trabalhou para a Odebrecht, a agência de investigação internacional apontou que a conduta do juiz Sérgio Moro viola a legislação da Interpol. Ao decidir, a Comissão da Interpol colocou em dúvidas a confiabilidade do julgamento de Moro sobre Durán. “A Comissão considerou que as alegações apresentadas pela defesa, diante da conduta do juiz responsável por presidir o processo no Brasil, seja suficiente para levantar dúvidas sobre o fato de que pode existir uma violação ao Artigo 2 da Constituição da Interpol”, informou na decisão. O artigo 2 da legislação da agência refere-se à necessidade de que a instituição que busca trazer a cooperação entre as polícias de diferentes países deve trazer como prioridade, sempre, a Declaração Universal de Direitos Humanos. E seguiu sobre os indícios de parcialidade do juiz da Lava Jato no Paraná, Sergio Moro: “A defesa trouxe evidências, que podem ser facilmente verificadas em serviços de buscas abertos, para sustentar a controvérsia de que o juiz [Sergio Moro] falou sobre ele [Durán] publicamente em uma entrevista, quando ao negar movimentos para ele se apresentar como testemunha em outros casos, emitiu uma opinião sobre a veracidade de qualquer informação que ele [Durán] pudesse apresentar”. Leia mais aqui.

6. Ciclos de inclusão social sempre provocaram reação conservadora das elites do país

Em artigo, o presidente da Fundação Perseu Abramo, Marcio Pochmann, aborda os ciclos de inclusão social na história do Brasil, cujo ápice se deu com os governos do PT, a partir da vitória de Lula em 2002, e explica como – após o golpe de Estado que possibilitou a ascensão do governo Temer, seguida da deposição da presidenta Dilma (2011-2016), da perseguição ao Partido dos Trabalhadores e da prisão política de Lula, candidato à presidente nas eleições previstas para outubro de 2018 – houve um retrocesso nesse processo de inclusão. Leia mais aqui.

7. Papa recebe Amorim e sinaliza interesse e preocupação com o Brasil

O papa Francisco recebeu, no dia 02 de agosto, o embaixador Celso Amorim, que foi chanceler do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ministro da Defesa da presidente deposta Dilma Rousseff. No encontro, as palavras usadas pelo pontífice para se referir à situação brasileira foram ‘interesse e preocupação’, o que demonstra que ele acompanha de perto a crise política e institucional brasileira. No encontro com Amorim, o papa recebeu o livro ‘A Verdade Vencerá’, em que Lula narra sua luta contra tribunal de exceção que o persegue no Brasil, e enviou uma bênção ao ex-presidente. Leia mais aqui.