A maior parcela da população brasileira (77%) acredita que a maneira como os indígenas produzem protege e não agride a natureza e o meio ambiente, 1 a cada 10 entrevistados acha que depende, as vezes protegem, noutras agridem o meio ambiente e somente 4% consideram que a forma como os indígenas produzem agride igualmente o meio ambiente.

Na região Nordeste e entre os indígenas a declaração de que a forma de produção do índio protege o meio ambiente é mais acentuada (82%, em ambos), enquanto a percepção de que depende é maior na região Centro-Oeste (19%).

Em relação ao desmatamento que ocorre no Brasil, as madeireiras são consideradas as principais responsáveis, por quase metade da população (44%), com grande distância dos demais responsabilizados – grandes fazendeiros (14%), governo brasileiro (11%), população não-indígena (9%) e empresas e indústrias nacionais (7%).

A responsabilização das madeireiras pelo desmatamento é relevante entre os entrevistados de descendência indígena (57%) enquanto a identificação dos grandes fazendeiros à responsabilidade pelo desmatamento é maior entre os habitantes da região Norte (32%) e a atribuição da culpa ao governo é maior entre os residentes nas capitais (17%).

Na possibilidade da responsabilização pelo desmatamento a mais de um agente, primeiro e segundo colocados se mantém, com taxas de 77% e 55%, respectivamente e ganha a terceira posição as empresas e indústrias brasileiras, com 37% de citações. O governo e a população brasileira são considerados igualmente responsáveis (por 24%, ambos).

Faça o download do capítulo 10.



















Fonte: Portal FPA